Quarta-feira, 11 de Março de 2009

RODA DE LEITURA...

À roda do texto dramático de STTAU MONTEIRO

 

 

«Esta última Roda conseguiu, mais uma vez, ser inovadora. Desta vez, teve como fundamentais alicerces a capacidade abstractiva, imaginativa e interpretativa dos participantes. Foi deveras interessante o facto de se ter “alargado” o campo explicativo do texto do ‘Felizmente Há Luar!’. Isso exigiu tanto o esforço dos actores mas, sobretudo, dos “pseudo-encenadores”, pois foram eles que se abstrairam do texto assimilado nas aulas, e imaginaram outros subtextos completamente diferentes, e mesmo, diria eu, exagerados. Mas mesmo assim, isso só revela o quão variadas são as nossas linhas de criatividade e, até, de devaneio fantasioso.

Aproveito também para elogiar os actores participantes pela enorme qualidade das suas representações interpretativas. Não só... Também pelo facto de se terem mostrado pessoas conscientes e críticas, pois não só se designaram a representar consoante os vários “encenadores” de plateia assim o exigiam, mas também obrigaram-nos a concluir que o esforço interpretativo é fundamental para o nosso enriquecimento intelectual. Não devemos apenas tomar o papel de espectador e/ou leitor passivo, que vê, ouve, ou lê, mas sim do que olha, escuta, ou descodifica nas interlinhas. Devemos ser interventivos, pensarmos no que está a ser representado e/ou lido.

Gostei de ter participado nesta Roda de Leitura»

Sílvia Diniz  - nº 29 - 12º A 

 

 

A Raquel Teixeira (nº 20/12º B) escreveu este comentário:

 

«Gostei muito de participar nesta roda de leitura. Acho que a participação dos actores foi muito boa e divertida, até porque nos puseram a pensar noutras formas de representar, ler/interpretar o texto dramático. Gostei particularmente da proposta dos actores, foi muito original e acabou por ser muito interessante, mesmo com encenadores tão criativos, os actores estiveram muito bem.» 

                                                                           

  

 

«Gostei muito desta roda de leitura. Penso que um texto dramático só fica completo quando actores o representam, lhe dão alma e principalmente voz. Obrigada à professora e aos actores por nos presentearem com esta boa experiência, que gostava que se voltasse a repetir.»

 

                                                            Cátia Figueiredo (nº 8/12º B)

 

                                                         

 

«Foi a 1ª vez que assisti a uma Roda de Leitura e fiquei deveras  impressionado.

Pelo que vi e ouvi, percebi que ler não é a única preocupação que devemos ter, mas sim interpretar!... Através das palavras proferidas por um actor consegue-se interpretar um texto de várias maneiras... O que nos leva a pensar e a perguntar: "Será que foi isto que o autor pensou?"

 

                                                                      Gabriel Lourenço - nº 13 - 12º A

 

   

 

«Na minha opinião esta Roda de Leitura foi bastante inovadora, pois demonstrou como uma só cena de teatro pode ser interpretada de diversas maneiras, podendo transmitir ao público sentimentos diversificados.
Foi também uma experiência enriquecedora, devido ao facto de ter adquirido conhecimentos que anteriormente não tinha. E tudo isto só foi possível devido à grande qualidade interpretativa dos actores.» 

                                                                    Mário Rodrigues - nº19 - 12º A

post-scriptum às 15:30

| comentar

ESCOLA SECUNDÁRIA DE PALMELA


Este blog persegue os objectivos do «Plano Nacional de Leitura» e promove, paralelamente, a participação da Escola Secundária de Palmela no «Projecto Ler Consigo» da Associação de Professores de Português/APP.

subscrever feeds

pesquisar

 

Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

arquivos

Maio 2009

Março 2009

Novembro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

links